• Woman XXI 2017

    INTERNATIONAL CONFERENCE ON WOMAN

  • 29-30 Set. 2017

    PORTO | Fundação Dr. António Cupertino de Miranda

Data

29-30 set. 2017

Porto

Fundação Dr. António Cupertino de Miranda

Submissão de resumos

Fechada

Inscrições

Fechadas

Resumo do congresso:

- 36 Oradores convidados 

- 7 Mesas Redondas 

- 70 Trabalhos apresentados (Comunicações Orais e Posters)

- 2 dias de debate informal e multidisciplinar sobre questões de Género...e não só!

Oradores(as)

Abreu de Sousa

Médico

 

Abreu de Sousa

Médico

1997: Especialista em Cirurgia Geral pela Ordem dos Médicos
European Board of Surgical Oncology (European Board of Surgery Qualification 2002)
2003: Grau de Consultor de Cirurgia Geral da Carreira Médica Hospitalar
Director do Serviço de Oncologia Cirúrgica do IPO-Porto
Coordenador da Clínica de Mama do IPO-Porto
Assessor da Direcção Clínica do IPO-Porto
Professor Convidado de Cirurgia do Curso de Medicina do ICBAS
Presidente da Sociedade Portuguesa de Oncologia
Sociedades Científicas a que pertence: Sociedade Portuguesa de Cirurgia, Sociedade Portuguesa de Senologia, European Society of Mastology and European Society of Surgical Oncology

Alexandra Lopes

Universidade do Porto, FL

 

Alexandra Lopes

Universidade do Porto, FL

Áreas de interesse:  Sociologia da Saúde, Sociologia do Envelhecimento, Desigualdades e pobreza, Estudos de género. 

Alice Frade

Antropóloga

 

Alice Frade

Antropóloga

Antropóloga e directora executiva da P&D Factor – Associação para a Cooperação sobre População e Desenvolvimento, Alice Frade dedica-se a trabalhar em Advocacy e Cooperação para o Desenvolvimento há 14 anos. É autora e co-autora de vários trabalhos nesta área, sobretudo nas temáticas da Educação, Saúde Sexual e Reprodutiva, População e Desenvolvimento e Direitos Humanos. Alice Frade é também consultora do programa “Príncipes do Nada”. 

 

 

Alina Dudcó

Presidente da associação Kalina

 

Alina Dudcó

Presidente da associação Kalina

Presidente da associação Kalina - Associação dos Imigrantes de Leste.

Ana Cristina Ferrão

Consultora

 

Ana Cristina Ferrão

Consultora

Natural de Lisboa, cidadã do mundo, Ana Cristina Ferrão dedica a alma e o coração à comunicação social, a par de uma carreira profissional absorvente na área da consultoria de sistemas de informação. 
Em 1979, tem o seu primeiro contacto profissional com a rádio, através do programa O Som da Frente, na Rádio Comercial, e o célebre "bichinho" radiofónico instala-se. Cria e desenvolve para o mencionado programa a rubrica Sinais de Fumo, assinando também colaborações no programa de fim-de-semana A Caixa de Música, e realiza e co-apresenta a série de programas semanais Loiras, Ruivas e Morenas, dedicada, como o nome indica, à presença feminina na música. Ainda na Rádio Comercial realiza outras duas longas séries: uma dedicada a Jim Morrison e aos Doors, coincidente com o 25º aniversário da edição do single Light my Fire, intitulada Rei Lagarto e Outras Histórias, outra dedicada aos Beach Boys intitulada Beach Boys - um Sonho Americano. 

Fora da rádio e no domínio da escrita, em 1990 acede ao convite dos Xutos & Pontapés e escreve o livro Conta-me Histórias, uma biografia da banda repleta de aventuras do célebre grupo nacional e de retrato social dos anos 80 em Portugal. Conta-me Histórias conseguiu um impacto notável no nível de vendas e comentários na imprensa, como o de Manuel Falcão (no Sete) que o considerou como «a inauguração do livro musical no nosso País» ou de Pedro Rolo Duarte que disse dele, ser "um verdadeiro objecto Rock". 

Desde o início ligada ao lançamento da XFM (1993), cria uma nova rubrica para os programas Grande Delta (de António Sérgio) e Café Virtual (de Aníbal Cabrita). A convite de Manuel Hermínio Monteiro, escreve no mês de Agosto de 1995 um livro dedicado a Kurt Cobain, aos Nirvana e a Seattle, reunindo a publicação bilingue das canções de Cobain com "uma visão jornalística sul-europeia sobre o fenómeno Nirvana", como o viria a caracterizar Álvaro Costa no programa da Antena 3 Drive-in. 

Em 1996 traduziu Touching from a Distance, a biografia de Ian Curtis, escrita pela sua mulher Deborah Curtis, que viu a edição portuguesa com o título Carícias Distantes. Em 1997 regressou à Rádio Comercial assinando a série de rubricas F.U.C. - Fadas, Unicórnios e Cyborgs - um panfleto sonoro que se prolongou até 2002. De Fevereiro a Maio de 2002, realizou e apresentou Waiting on Waits, uma série semanal de emissões dedicadas a Tom Waits. Em Setembro desse ano realiza também "o desenho de estação" para o especial Pearl Jam que decorreu de Setembro a Novembro. 
Desde 1999 Ana Cristina Ferrão é também a criadora e organizadora dos Seminários Super Bock Super Rock que se realizam a par do homónimo e célebre festival. Fã de banda desenhada, incapaz de adormecer sem ler e ouvir música

Ana Sofia Antunes das Neves

Professora Universitária/Investigadora

 

Ana Sofia Antunes das Neves

Professora Universitária/Investigadora

Sofia Neves é licenciada em Psicologia (1999) e doutorada em Psicologia Social (2005) pelo Instituto de Educação e Psicologia da Universidade do Minho. É Professora Auxiliar e investigadora no Instituto Universitário da Maia (ISMAI) e membro integrado do Centro Interdisciplinar de Estudos de Género (CIEG, ISCSP/ ULisboa). A sua principal área de interesse científico é a Violência de Género.

Atualmente é Presidente da Direção da Associação Plano i e integra os grupos de trabalho da Violência Doméstica e de Género da Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género e da Intervenção do Psicólogo com pessoas LGBT da Ordem dos Psicólogos Portugueses.

Constanza Ceruti

Antropóloga

 

Constanza Ceruti

Antropóloga

Constanza Ceruti é uma Antropóloga e Montanhista Argentina. Após se ter formado em Antropologia na Universidade de Buenos Aires em 1996, fez o doutoramento na Universidade de Cuyo (Mendoza) em 2001. Certuti tornou-se especialista nos campos de arqueologia em altitute e antropologia de montanhas sagradas. É investigadora no National Council for the Scientific Research (CONICET) na Argentina, e professora na Universidade Católica de Salta, assim como fundadora e diretora do Institute of High Mountain Research na mesma universidade. Ceruti já subiu mais de 100 montanhas acima dos 5000 metros em contexto de investigação arqueológica, e já esteve nos pontos mais altos de locais como o Ecuador, Bolivia, Peru, Chile,  Argentina,Mexico e Nepal.

É autora de centenas de artigos científicos e cerca de 20 livros. 

No topo do vulcão Llullaillaco, Ceruti marcou presença na descoberta de três das melhor preservadas múmias do mundo, juntamente com várias estátuas e objetos de ouro, prata e ainda artefactos Incas. Depois de coordenar diversos estudos científicos sobre múmias e artefactos durante 6 anos, a autora lançou um livro sobre rituais Inca e as montanhas sagradas, publicado pelo  Cotsen Institute of Archaeology (UCLA).   

A Universidade de Buenos Aires premiou-a com uma medalha deoOuro, e os seus feitos ao nível do montanhismo foram igualmente reconhecidos com a mais alta condecoração do Excército Nacional da Argentina, dada pela primeira vez a uma mulher. Em 2005 tornou-se exploradora emergente na sociedade da National Geographic, e em 2016 foi uma das poucas condecoradas na cerimónia de prémios do Princípe das Asturias. Depois disso, numa sequência de prémios e condecorações, em 2009 foi oradora convidada para o encontro mundial da TED, em  Oxford, e em 2011, depois de condecorada pelas autoridades do país Basco, foi convidada a lecionar em Harvard. Ainda este ano (2017), foi galarduada com a medalha de ouro da Sociedade Internacional de Mulheres Geógrafas. 

Cyntia de Paula

Psicóloga comunitária

 

Cyntia de Paula

Psicóloga comunitária

Licenciada em Psicologia pela Universidade Federal do Mato Grosso do Sul – Brasil  e mestre em Psicologia Comunitária pelo ISPA – Instituto Superior de Psicologia Aplicada.

É Psicóloga Comunitária na associação de imigrantes Casa do Brasil de Lisboa, onde realiza o atendimento psicossocial para migrantes no Gabinete de Orientação e Encaminhamento. É  coordenadora do  Projeto Acolhida e mediadora Grupo Acolhida, grupo  de partilha de experiências para migrantes. É co-autora de projetos na área da integração dos/as migrantes em Portugal e representante da associação em diversas plataformas. 

Desenvolveu atividade profissional na UMAR (União de Mulheres Alternativa e Resposta) como coordenadora pedagógica e também como técnica no Projeto "Laboratório para a Igualdade através do Teatro Fórum”.

É ativista pelos direitos dos/as migrantes e feminista.

Daniel Cardoso

Investigador

 

Daniel Cardoso

Investigador

Nascido a 29/12/1986, em Lisboa, Portugal. 

Daniel Cardoso é doutorado em Ciências da Comunicação, professor auxiliar a tempo integral na Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias, professor auxiliar convidado na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas (UNL) e no Instituto das Novas Profissões. Faz também parte da coordenação do Grupo de Trabalho Género & Sexualidades da SOPCOM, e da coordenação da Research Network Sexuality da ESA. As suas áreas de interesse focam-se nas não-monogamias consensuais, diversidade sexual, feminismos, LGBTQ, juventude e cibercultura. A sua produção activista, artística e académica pode ser vista em www.danielscardoso.net

Djarga Seidi

President of Balodiren

 

Djarga Seidi

President of Balodiren

Engº. Agrónomo, pelo Instituto de Tecnologia de Produção e Saúde Animal de Sidi Bel-Abbés, Argélia - 1979
Curso de Pós-Graduação Gerir Projetos em Parceria –Universidade Católica Portuguesa, Lisboa;
Curso de gestão Adaptada e Particpação em Organizações Camponesas (OAPa), Munique, Alemanha;

Em 2012, foi eleito Representante da Comunidade Imigrante na Comissão para igualdade contra Discriminação Racial (CICDR), liderada pelo ACIDI;
Foi Membro do Grupo de trabalho sobre Mutilação Genital Feminina, liderado pela CIG (Comissão para igualdade de Genero) e do Conselho Consultivo do Movimento Lusófono (MIL);
Membro fundador do Movimento da Lusofónia da CPLP na Diáspora, onde fazem parte representantes das Associações  dos Paises de CPLP e da Federação das Associações da Guiné-Bissau em Portugal.

Exerce atualmente a função de Presidente da Balodiren

A Associação Balodiren é uma associação de solidariedade e apoio à comunidade guineense, fundada em 2007 e reconhecida pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros (MNE) como ONGD em Setembro de 2009. Com sede provisória em Casal de Cambra, num espaço disponibilizado pela Câmara Municipal de Sintra, a organização visa defender os direitos dos imigrantes e contribuir para a integração dos migrantes na sociedade onde estão inseridos. Além disso, procura apoiar as pessoas carenciadas ou em necessidades na área social e humanitária e contribuir para o desenvolvimento da Guiné-Bissau através da experiência da sua diáspora radicada em Portugal. A nível nacional, promove a sensibilização e informação ao migrante sobre as leis de migração nacional para que este possa decidir de forma mais consciente e informada.
A contribuição no desenvolvimento sócio-economico e cultural da Guiné-Bissau, com acções concretas e concertadas e o fortalecimento das relações de amizade entre a Guiné-Bissau e o Portugal são dois dos objectivos da Balodiren.
Nesse sentido, a Associação Balodiren tem desenvolvido actividades como a auscultação e o contacto com as comunidades migrantes na zona de Agualva-Cacém, através da dinamização de acções de sensibilização sobre a importância do conhecimento e respeito das leis portuguesas por parte dos migrantes e ainda na sensibilização para a erradicação da mutilação genital feminina junto da diáspora guineense. Ao longo dos últimos anos, realizou várias tertúlias nomeadamente nos domínios de mutilação genital feminina e do papel de migrantes no desenvolvimento dos países de acolhimento. Estas iniciativas tiveram participação de várias Instituições da sociedade civil, assim do OIM – Organização Internacional para as Migrações, ACIDI – Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural e APF – Associação de Planeamento Familiar (a Balodiren, assinou recentemente uma parceria com a APF para a realização de um projecto sobre os ODM – Objectivos de Desenvolvimento do Milénio).

Sobre o Woman XXI: 

Toda a gente diz que a mulher fala muito. Toda a gente diz que a mulher percorre o shopping de uma ponta à ponta. E repete. Toda a gente diz que a mulher limpa melhor que o homem. Toda a gente diz que a mulher percebe mais de crianças. E sentimentos. 
E toda a gente diz que isto está a mudar. 
Toda a gente deveria também dizer que ainda pouco se disse, afinal, sobre a Mulher. 
O Woman XXI não é mais um congresso sobre a Mulher, é um encontro de ideias, experiências, pontos de vista, questionamentos, debates, discussões acesas e partilha de vivências. É um lugar onde se discute a pluralidade do ser-se Mulher no século XXI, com todas as nuances e abordagens multifacetadas que o tema exige. 
Por isso, pretendemos reunir todos os que têm algo a dizer sobre a Mulher nas mais diversas áreas - desde a Psicologia, a Economia, a Educação, o Desporto e Nutrição, as Artes e muitas outras - para trabalhar na construção de um conhecimento mais aprofundado e realista sobre o que é, afinal, ser Mulher na atualidade.

Acompanhe as novidades através da hashtag #WOMANXXI2017

WOMAN XXI - Porto, 29 e 30 de setembro de 2017, Fundação Dr. António Cupertino de Miranda

Logo woman 2017

powered by eventQualia